Abrindo um negócio: Presença online

Presença OnlineGarantir que seu negócio tenha a presença online correta pode ser um diferencial competitivo que permite a você engajar e atender mais clientes, bem como educar e prospectar mais leads quanto aos benefícios do seu negócio!

Mas você sabe que aspectos uma empresa que está nascendo deve cuidar logo de saída para melhorar suas chances de sucesso?

 

1- Antes de tudo – quem é você como empresa?

Antes de começar a pensar em sentar no computador e estar presente online, eu peço, peço não, imploro: Pense em como você quer que sua empresa seja vista. Como você quer que as pessoas falem da sua empresa. Lembre da missão, visão e valores. Do DNA da empresa. Pense em quem é seu cliente, quais as características e vontades dele.

Pense em tudo isso e como seria se a empresa tivesse voz própria. Só então decida que tipo de conteúdo é apropriado, que tipo de tom as publicações terão. É muito importante fazer esse trabalho pois uma publicação fora do tom e contradizendo o que se espera da Identidade Organizacional podem colocar tudo a perder no início de um negócio.

2- Site

O site da sua empresa é um ponto super crítico. Ele é tanto o cartão de visitas quanto a loja digital (mesmo que você não venda nada diretamente por ele). Três aspectos a se considerar: Técnico; Conteúdo e; SEO.

No aspecto técnico você precisa se preocupar com a usabilidade do site – se os links todos funcionam e levam para onde deveriam, se o cliente consegue identificar facilmente os links, se o site abre igual em todos os navegadores, se o site abre sem erros, se abre rápido. E se você não entende de nada disso, eu recomendo buscar ajuda profissional. Por fim na parte técnica registre um domínio: nada pior para uma marca que um site tipo “www.marcadosoutros/seunegocio“.

Um aparte sobre e-mails: O normal é que todo plano de hospedagem venha com pelo menos 5 contas de e-mail. Mas nem sempre os serviços de e-mail dos provedores de hospedagem valem a pena. Sugerimos o uso do Google Suite, mas se o custo for um problema, então criem uma conta no domínio da empresa para interagir com clientes e fornecedores e gerenciem o resto internamente com uma conta gratuita do Gmail (o filtro de spam e as sincronizações sendo o motivo principal).

No aspecto conteúdo, garanta que as pessoas vão ter acesso ao mínimo para conhecer a empresa: página sobre/quem somos com missão, visão, valores e história/equipe. Página serviços/produtos com descrições do que a empresa faz. Página de contato com todos os links para redes sociais, e-mails, telefones e endereço físico relativos a empresa. Sem esquecer, claro, de uma página inicial atraente e de fácil navegação. Considere ter um blog ou uma área de notícias onde você pode falar das novidades da empresa e de assuntos relacionados.

E finalmente chegamos ao monstro… O SEO. Search Engine Optimization. Otimização para ferramentas de busca. Em resumo, arrumar o conteúdo e o técnico para que o site da sua empresa se destaque dentro das ferramentas de busca. Eu não entendo disso o suficiente para dar dicas a fundo, mas posso deixar essa: O Google Search Console ajuda a identificar muitos dos problemas que impedem um site de ter melhor performance no Google. Novamente, se não for sua área, melhor procurar um profissional mas aqui está o básico:

  • Palavras-chave: As ferramentas de busca precisam encontrar as palavras-chave (e frases-chave) no texto do seu conteúdo ou seu conteúdo não vai aparecer na busca;
  • Otimização: Seu site precisa abrir (tudo, pronto pra uso) em até 5 segundo;
  • Backlinks: Quando mais gente (outros sites) com links apontando pro seu conteúdo, maior a chance dele aparecer na primeira pagina da pesquisa;
  • Responsibilidade: O site se adapta ao tamanho da tela do dispositivo, sem a necessidade de duas versões diferentes para celulares e computadores de mesa.

Leia também: Home Office: Se mantendo produtivo trabalhando em casa

3- Redes Sociais

Hoje você tem um cenário muito mais estabelecido quanto à que redes sociais utilizar e qual público cada uma atinge, com a novidade sendo a chinesa TikTok que apela mais para um público 18-. A regra entretanto é a mesma para todas as redes: Criar o perfil mais completo e pertinente e  obedecer as regras da redes em questão. Quanto mais homogêneo o conteúdo dos perfis melhor. Use a logo como foto de perfil e use a mesma imagem e descrição em todas (isso vai ajudar com o SEO).

Se lembre de sempre colocar o link para o site no perfil, quase todas as redes tem espaço para isso. Atenção: Você vai criar perfis de empresa! No Facebook e LinkedIn (é, LinkedIn) será uma página. Já no Twitter e Instagram não tem diferença na forma de criar o perfil, mas no Instragram você deve habilitar o perfil comercial.

Os especialistas recomendam que você poste de 3-5 vezes por dia e diferencie o conteúdo de uma rede pra outra. Isso é fácil com o Instagram: Fotos! Já nas outras redes identifique o perfil dos seus seguidores e ajuste o conteúdo para o que mais agradar a eles em cada rede diferente. “3-5 vezes por dia, Diego??? Eu tenho mais o que fazer!” É, eu imagino. Se não dá para fazer como os especialistas dizem, poste uma vez só no horário de maior atividade dos seus seguidores. A maioria das redes sociais tem ferramentas para isso. Só não deixe de postar.

4- Comunicação Instantânea

É bem simples: Identifique a plataforma com maior quantidade de usuários e esteja disponível lá. Hoje, o rei dos messengers no Brasil é o Whatsapp, não muito tempo atrás era o MSN (ou seja, fique de olho, isso muda de tempos em tempos). Então você e seu empresa precisam possuir um perfil (preferencialmente comercial se a plataforma permitir) na ferramenta mais popular. No caso específico do Whatsapp, você pode criar uma conta no Whatsapp Business, um app separado com funções específicas para negócios. Lembre que estamos falando de presença online e comunicação instantânea: Se você não estiver lá no momento que seu cliente falar com você e não responder rapidamente (em menos de 2 minutos) não dá pra dizer que estava presente, nem que foi instantâneo. Esse foi o lado com o cliente.

Decida também qual a plataforma que ferramenta será utilizada para comunicação interna. Aqui a decisão é mais importante, pois você tem mais liberdade e mais opções. Algumas ferramentas vão além da comunicação instantânea e integram gestão de calendário, tarefas e equipes (Runrun.it, Slack). Outras incluem capacidade para teleconferência com compartilhamento de telas (Skype, Google Meetings). Escolha a que melhor atende suas necessidades a longo prazo.

5- Atendimento ao cliente

Aqui é onde a presença online se faz mais literal, ou você está lá observando e acompanhando, ou todo o esforço descarrilha. Um ponto importantíssimo, algo que pode matar sua empresa se não for  considerado com cuidado, é como o atendimento ao cliente é tratado num engajamento online. Lembre sempre da máxima “um cliente satisfeito fala bem de você para algumas pessoas, um cliente insatisfeito fala mal de você para várias pessoas”. E um cliente insatisfeito online fala mal de você para o mundo inteiro ao mesmo tempo.

Defina e deixe claro como os clientes podem entrar em contato para tirar dúvidas e para tratar de problemas e monitore essas meios de comunicação como se seu negócio dependesse disso. Além disso, de tempos em tempos, faça pesquisas para ver o que está sendo dito e se teve alguma coisa que escapou (nem com todo seu esforço, todos os possíveis insatisfeitos vão utilizar os canais que você disponibilizar).

6 – Equilíbrio é importante

Duas coisas em que se deve prestar atenção quando lidar com a presença online da empresa: separar o pessoal do privado e; estabelecer limites para as coisas. É muito importante que você deixe bem claro o que é pessoal e o que é empresa, assim minimiza o risco de postar coisas pessoas para o público empresarial e vice versa. Mas, mais importante que isso é saber dosar o tempo gasto no online e no “offline“.

Vamos falar rapidinho sobre core business e work-life balance. Core Business é o termo dado ao conjunto de atividades/serviços que define seu negócio. Para ficar bem fácil, o core business de uma padaria é a venda de produtos de confeitaria. O core business de uma empresa de consultoria empresarial é a disponibilização de soluções que melhorem o desempenho de outras empresas. Cuidar das redes sociais e da presença online da empresa é importante – vital até – mas não deve interferir na realização do core business. Se você perceber que isso está acontecendo, reavalie as atividades – pode ser a hora de terceirizar a atividade.

Work-life balance é como chamamos o equilíbrio entre a vida pessoal e a vida profissional. MEIs, MPEs e PMEs por natureza tem equipes muito pequenas no início das suas atividades e a gestão da presença online pode acabar consumindo muito tempo da (as vezes única) pessoa responsável pela organização.

Se você estiver gerenciando redes sociais e respondendo e-mail de clientes depois do horário comercial, então duas coisas podem estar acontecendo: a) você está tendo mais demanda do que dá conta e chegou a hora de terceirizar; b) você perdeu o controle sobre a comunicação, está desviando do core business e prejudicando sua vida pessoal no processo de gestão da presença online.

Essas são as principais coisas que indicamos para os empreendedores se atentarem quando o assunto é presença online da organização. Ficou com alguma dúvida? Erramos em alguma coisa? Quer deixar sua dica ou contar como foi sua experiência? Deixe um comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *